Cuidado com os alimentos lights, diets e zero.

Fico muito feliz em ver que a busca por uma alimentação saudável tem aumentado bastante, mas o que me desanima é ver pessoas tentando ser saudáveis trocando a margarina tradicional por uma margarina light, rs, ou um refrigerante tradicional por um zero açúcar.

Por isso resolvi escrever esse post pra explicar para vocês a diferença entre os 3 e mostrar porque eles não são tão bacanas assim, diferente do que a industria alimentícia tenta te mostrar.
Muitas pessoas acabam substituindo alguns produtos pelas suas versões diet e light ou zero na esperança de diminuir a quantidade de calorias do cardápio. Alguns, acreditam que “ser saudável” é passar a consumir produtos na sua versão light, enquanto que outros acreditam que o produto diet está liberado para consumo já que não contém açúcar, e pior ainda, diabéticos acreditam que esses alimentos são uma boa opção para seu estado de saúde.
Mas a realidade é que produtos diet, light e zero vendem uma falsa imagem de “saudáveis”. Refrigerantes, néctares e sucos de caixinha, chocolates, doces, geleias e adoçantes, são os produtos mais “disfarçados” que estão no mercado. E infelizmente a industria se aproveita da situação e cria cada vez mais opções para esses clientes que estão em busca de uma alimentação melhor, mas não querem abrir mão de comer os docinhos de sempre.

Entenda a diferença entre eles:

Diet: Em inglês significa regime. É quando o produto é isento de determinado ingrediente, como açúcar, sódio, proteínas, gorduras, etc., não necessariamente isento de calorias.
Ele é usado em grupos específicos, como por exemplo os diabéticos, que tem um controle na ingestão de açúcares.
No entanto, quando ocorre a redução de algum ingrediente, são utilizados outros ingredientes para repor essa falta. Por exemplo, um chocolate diet, sem açúcar, é adicionado adoçante para manter o seu gosto. E ao utilizar adoçante no lugar do açúcar, a textura do alimento se modifica por conta deste ingrediente diferente e possivelmente é adicionado gordura para manter a textura mais próxima de um chocolate tradicional. Ou seja: é retirado o açúcar (como está na embalagem), mas “as cegas” é adicionado adoçantes e gorduras. Então uma pessoa leiga no assunto acaba comprando um produto diet com a intenção de emagrecimento e no fim não obterá esse resultado.

Light: Em inglês significa leve. O produto teve uma redução de pelo menos 25% de algum ingrediente em comparação ao produto tradicional. E assim como os diets a diminuição de algum nutriente pode ocasionar a adição de outro para manter a consistência e sabor. É necessário ficar atento nas embalagens.

Zero: O produto é isento de determinado ingrediente, ou seja, é considerado um produto diet, mas não a associação com grupos específicos. Outras formas que também são vendidos: “não contém”, “livre de”, “sem”, “free”, “isento”.

Então, esses alimentos light, diets e zero que se vendem como saudáveis, não são nem de longe garantias de saúde. Sou e sempre serei a favor da alimentação de verdade, alimentos naturais como vegetais, frutas, legumes, verduras, raízes, carnes, aves, peixes, ovos, grãos, oleaginosas, enfim, alimentos com um grande aporte de nutrientes, vitaminas, gorduras saudáveis e minerais para o corpo.

Quando usar um produto light ou diet?
Apenas se você tiver alguma restrição médica de alguma substância, por exemplo os diabéticos, fenilcetonúricos, celíacos, etc., Um chocolate diet sem açúcar pode ser consumido por diabéticos. Por isso, tanto o alimento light quanto o alimento diet deve ser consumido de acordo com a necessidade individual, mas não como uma solução para o emagrecimento.

Um beijo. 😘

Diane Leal
Diane Leal
Nutricionista há 18 anos, apaixonada por alimentação saudável e funcional, e há 3 anos, mudou completamente a rotina alimentar (e a vida) da família. CRN/SP 12162

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *